Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Caldas da Rainha e Oeste

"Para quem se interessa pelos problemas da nossa cidade e da nossa região"

Caldas da Rainha e Oeste

"Para quem se interessa pelos problemas da nossa cidade e da nossa região"

Para chorar ...

Orçamento Geral do Estado 2016

 

"Vencimentos de Cargos Políticos para os Municípios com 40.000 ou mais eleitores (Caldas da Rainha) e para as Juntas de Freguesia com mais de 10.000 e menos de 20.000 eleitores  (Juntas de Freguesia da Cidade)"

 

Cargo

Vencimento

Abono

Senha de

Valor

Valor

Mensal

Mensal

Presença

Mensal

Anual

14 (X)

12 (X)

Por Reunião

 

 

Presidente de Câmara

3.815,17 €

1.144,55 €

 

4.959,72 €

67.146,98 €

Vereador a tempo inteiro

3.052,13 €

610,43 €

 

3.662,56 €

50.054,98 €

Vereador a meio tempo

1.526,07 €

305,21 €

 

1.831,28 €

25.027,50 €

Vereador não permanente

 

 

73,00 €

 

 

Presidente da Assembleia Municipal

 

 

114,45 €

 

 

Secretário da Assembleia Municipal

 

 

95,38 €

 

 

Membro da Assembleia Municipal

 

 

73,30 €

 

 

Presidente da Junta a tempo inteiro

1.678,67 €

 

 

1.678,67 €

23.501,38 €

Presidente da Junta a meio tempo

839,34 €

 

 

839,34 €

11.750,76 €

Presidente não permanente

 

305,21 €

 

305,21 €

3.662,52 €

Tesoureiro (Não permanência)

 

244,17 €

 

244,17 €

2.930,04 €

Secretário (Não permanência)

 

244,17 €

 

244,17 €

2.930,04 €

Vogal (não tesoureiro ou secretário)

 

 

21,36 €

 

 

Membro da Assembleia de Freguesia

 

 

15,26 €

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Certamente que por causa dos valores dos vencimentos e subsídios a atribuir aos eleitos no concelho de Caldas da Rainha,  é que se luta dentro dos partidos! Pelos vistos, o tacho é MUITO tentador. Principalmente para quem nunca teria capacidades profissionais, para vir a auferir um ordenado destes!

 

 

 

 

Assembleia Municpal - 19 de Junho de 2016

A falta de educação

Uma vez que tinha interesse na discussão e votação de 2 ou 3 pontos da ordem de trabalhos, desloquei-me, acompanhado pelo meu neto, à referida assembleia. Mal sabia eu o que ia encontrar. Uma "multidão" de pessoas ligadas ao Colégio Rainha D. Leonor que, deduzi eu, ali estavam por se ir discutir algo relacionado com o ensino privado.  E, na realidade, acertei em cheio. Tais pessoas estavam presentes porque se iria discutir o futuro do ensino no concelho. No entanto, e para que fosse garantida essa discussão naquela assembleia, foi apresentada pelo CDS uma proposta para que houvesse essa garantia. Proposta essa que foi recusada, tendo o referido assunto, por votação maioritária, baixado à segunda comissão. Entrou-se então no período de 30m destinado às intervenções do público, intervenções essas que me merecem apenas uma chamada de atenção, e que se refere apenas aos tempos de intervenção dos oradores. Enquanto três deles usaram escrupulosamente o tempo a que tinham direito (30:4=7,5m), o último, o cidadão Fernando Costa, que de acordo com  palavras suas, para além de caldense e autarca, também é administrador de uma empresa de reciclagem, falou por mais de 20m. Porque terá sido? Solidariedade autarca ou qualquer outra coisa que me "escapou"?

E chegamos ao ponto que me levou a escrever estas palavras: a falta de educação demonstrada por uma série de "gentinha pequenininha", que devia "beber o chá" que não bebeu em criança.

-  A Assembleia estava marcada para as 21H00 e começou às 21H30;

- A entrada e a presença de alguns participantes na assembleia foi uma "rebaldaria".  Falavam alto, faziam barulho, davam beijinhos e cumprimentos, atendiam o telemóvel e iam falar para fora da sala, enfim, uma falta de respeito;

- Os "colegiais" pareciam estar numa feira quando começaram a "debandar" da assembleia, desrespeitando tudo e todos, incluindo o membro que estava no uso da palavra.

Uma vez que me parece, que estas pessoas que nós elegemos, para além de não se respeitarem mutuamente não respeitam minimamente o cidadão que os elegeu, aqui deixo duas propostas que irei fazer uma próxima Assembleia Municipal:

  1. Que as sessões passem a ser transmitidas em directo, via internet, para que todos os cidadãos as possam seguir;
  2. Que o Presidente da mesa, a partir da próxima reunião, adopte este como um instrumento de trabalho;