Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caldas da Rainha e Região Oeste

"Para quem se interessa pelos nossos problemas"

Caldas da Rainha e Região Oeste

"Para quem se interessa pelos nossos problemas"

ONDE ESTARÁ?

05.10.10, Carlos Gaspar

República/100 anos: Estado condecorou 14 cidades pelo "heroismo, civismo e amor" manifestados ao regime.

CALDAS DA RAINHA - CAVALEIRO DA ORDEM DA TORRE ESPADA DE VALOR LEALDADE E MÉRITO - 1919/04/26

 

A primeira República distinguiu 14 vilas e cidades pelo

"heroísmo, civismo e amor que manifestaram em sus-

tentar a integridade...

República/100 anos: Estado condecorou 14 cidades pelo "heroismo, civismo e amor" manifestados ao regime

A primeira República distinguiu 14 vilas e cidades pelo "heroísmo, civismo e amor que manifestaram em sustentar a integridade das instituições republicanas", quando estas "correram o perigo de ser subvertidas".

Alcobaça, Aveiro, Bragança, Caldas da Rainha, Chaves, Coimbra, Covilhã, Elvas, Évora, Lisboa, Mirandela, Ovar, Porto e Santarém (hoje, todas com o estatuto de cidade) são as localidades que, entre 1919 e 1930, foram agraciadas, por aqueles motivos, como sublinham os decretos, para o efeito, então publicados.

A distinção, traduzida na atribuição da Ordem da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, nos seus diferentes graus, fez com que o galardão passasse a figurar como insígnia destes concelhos, que também possuem o respetivo colar, que exibem apenas nalgumas cerimónias oficiais.

As primeiras cidade e vilas a serem reconhecidas pelo então novo regime foram Aveiro e Chaves e Mirandela, com o grau de Oficial daquela Ordem, através do decreto 5:262, de 15 de março de 1919, assinado pelo Presidente da República João Canto e Castro.

A "tenaz resistência" da população daquelas três localidades e a "heroica defesa" das "instituições republicanas" justificam as três condecorações.

Menos de dois meses depois, foi a vez de Lisboa ser reconhecida, de idêntico modo, com o decreto 5:663, de 10 de maio de 1919, também sob proposta do Ministério da Guerra e assinado por Canto e Castro.

Ao conferir à cidade de Lisboa o grau de Comendador da Ordem da Torre e Espada, o diploma enaltece o "desvelado amor à Pátria e à República, dando as mais sublimes provas de heroísmo nos dias 23 e 24 de janeiro do corrente ano" (1919).

No mesmo dia, o Diário do Governo publicava outro decreto, com o número imediatamente a seguir aquele, atribuindo às "cidades de Porto, Coimbra, Santarém, Évora e Bragança" e às "vilas de Alcobaça e Caldas da Rainha" o grau de Oficial da mesma Ordem, a estas cidades, e de Cavaleiro, às duas vilas.

O "heroísmo, civismo e amor" manifestados "em sustentar as instituições republicanas, quando estas correram o perigo de ser subvertidas pela ação proeminente que os monárquicos tinham dentro da República", explicavam a deliberação.

Em 03 de junho de 1920, um novo diploma, assinado por António José de Almeida, reforçava o reconhecimento, por "intermédio do grau mais superior da mais alta condecoração nacional" (Grã-Cruz da Ordem de Torre e Espada), do papel de Lisboa na defesa da República.

Ovar estranhava, entretanto, o facto da sua "parte bem saliente na defesa da República" ter sido "esquecida ou ignorada", mas em 25 de junho de 1919 era feita justiça à vila vareira, ao ser agraciada com o grau de Cavaleiro da Ordem de Torre e Espada.

Só uma década mais tarde, a defesa da República, então já a viver sob ditadura, voltava a ser condecorada, sendo Elvas e Covilhã os últimos municípios a serem condecorados, em fevereiro e em outubro de 1930.

Além de Amarante e Angra do Heroísmo, distinguidos por outros motivos, estes 14 municípios são os únicos do país galardoados com esta insígnia e com o direito, que mantém, de a usar nos respetivos brasões e bandeiras.

 

ONDE ESTÁ A CONDECORAÇÃO QUE POR DIREITO ESTA CIDADE DE CALDAS DA RAINHA DEVIA USAR NO SEU BRAZÃO E NA SUA BANDEIRA?

 

PROVAVELMENTE ESTARÁ NO MESMO SÍTIO QUE AS BANDEIRAS DE PORTUGAL, DAS CALDAS DA RAINHA E DA COMUNIDADE EUROPEIA, UMA VEZ QUE HASTEADAS NO EDIFÍCIO NÃO ESTÃO.

 

OU SERÁ QUE SOMOS MONÁRQUICOS E TEMOS UM REI?

PROVAVELMENTE QUE SIM JÁ QUE PELA CALADA DA NOITE FORAM COLOCADOS NAS PAREDES E NOS PÁRA-BRISAS DOS CARROS, GRANDES CARTAZES DOS REFERIDOS "SAUDOSITAS".